[Dias 3 e 4 / Desafio] Resenha - Orgulho e Preconceito e Zumbis

terça-feira, 25 de outubro de 2011




Sexto livro, lido nos dias 3 e 4 do desafio (22/10/11 e 24/10/11). Dia 23/10 eu não li nada (também conhecido como “descanso dos justos” ou “tem coisa pra escola segunda feira, tô lascada”.)

Orgulho e Preconceito e Zumbis
Autor: Jane Austen e Seth Grahame-Smith
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788598078748
Ano: 2010
Páginas: 320

Pra ler ouvindo:
Rasputina – If Your Kisses Can’t Hold...
Rasputina - Retinue Of Moons
Rasputina - Deep In The Sweet Water (Joseph Bishara Remix)
Kings Of Leon - Closer





Resenha:
Orgulho e Preconceito e Zumbis conta a história de Elizabeth Bennnet, segunda de cinco filhas de um proprietário rural que vive em Meryton, em Hertfordshire. A história gira em torno dos conflitos sociais, matrimoniais e, é claro, os zumbís (também conhecidos como os não mencionáveis) que habitam a Inglaterra há algum tempo.É comum encontrar grupos de não mencionáveis enquanto anda-se pela Inglaterra do século XIX, e mais comum ainda é ter a habilidade de matá-los, sendo esta considerada na mesma estima que o desenho, a pintura, os bordados e a compostura. Não há esconderijos, não há abrigos subterrâneos, não há pânico e nem nenhum desses tantos elementos tão comuns em histórias de zumbi.Eles são comuns, fazem parte do cotidiano inglês. A habilidade com as armas em combate com os mortos-vivos é algo pelo qual as damas seriam chamadas de prendadas e os rapazes seriam apreciados.

Com a promessa de transformar um clássico da literatura inglesa em “algo que você terá vontade de ler”, OPZ promete mas não cumpre. É um livro com, chuto, uns 80% do texto original para apenas algumas menções a zumbis, alguma luta épica aqui e alí, alguns conflitos envolvendo Katanas e treinamento Shaolin, e algumas ilustrações esparsas porém muito boas também.Se você é fã de zumbis mas não de romance e nem de Austen, a leitura não será muito promissora não. O fato de existirem zumbis é apenas uma “aprimoração” divertida do romance de Austen, mas não transforma Orgulho e Preconceito totalmente em uma nova história.

Eu, como fã de Austen, recomendo que leiam o original antes de ler esse, ou ao menos vejam os filmes (ai, que dor no coração escrever isso). Alguma diversão se dá sim, ao ler o livro. Mas, tinha sido informada aqui no blog mesmo nos comentários do desafio que a grande graça mesmo está nas passagens que você reconhece (e gosta) do livro sendo transformadas, e está mesmo. Elizabeth Bennet levando o comentário do Sr. Darcy no baile como ofensa pessoal e querendo prezar sua honra dilacerando-o é sensacional. A luta com Lady Catherine no dojo de sua casa também.

Não gostei muito do fato da personalidade sarcástica do Sr. Darcy e do Sr. Bennet terem sido mudadas. Os comentários cheios de ironia ácida e bem-colocada que geravam as melhores citações do livro foram transformados em apenas algumas ofensas sem propósito, meio pedantes. Meus dois personagens preferidos (tirando a Lizzie Bennet, of course) de pessoas ácidas e com o timing perfeito para comentários ficaram menos inteligentes e mais estúpidos, deixando as respostas dadas a eles fora de lugar. Uma pena.

Se você pretende ler, esqueça um pouco a empolgação com os zumbís e desperte o fã de romance em você. Após isso, vai poder aproveitar o livro totalmente, desfrutando da escrita genial de Austen acerca da sociedade do século XIX e de, porquê não, de zumbís também?

"Mas a senhora viverá.E pelo resto de seus dias saberá que foi superada por uma garota por quem não tinha consideração e cuja família e cujo mestre insultou da maneira mais rude possível. Agora, eu lhe peço que vá embora."

0 comentários:

Postar um comentário

Blog contents © The Neon Lightning 2012. Blogger Theme by Nymphont.