[Dia 6 - Desafio] Resenha - Eu Sou o Número Quatro

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012


Eu Sou o Número Quatro

Autor: Pittacus Lore
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580570137
Ano: 2011
Páginas: 350

Pra ler ouvindo:

Bloc Party
– Like Eating GlassBloc Party – Blue LightBloc Party – Positive TensionFranz Ferdinand – The Dark of The MatinéeThe Subways - Girls and BoysThe Strokes - The Modern AgeArctic Monkeys – Do me A FavourArctic Monkeys – 505Arctic Monkeys – Old Yellow BricksArctic Monkeys - Only Ones Who Know30 Seconds To Mars – Kings and Queens30 Seconds To Mars – Buddha for Mary

Resenha:


Quatro vive como um fugitivo. Nômade, já percorreu todo o Estados Unidos tentando se esconder dos mogadorianos, criaturas que já destruiram seu próprio planeta e agora estão em busca de recursos de outros lugares para que possam sobreviver. Esses áliens invadiram o planeta Lorien há algum tempo, destruindo o lugar. A única esperança do planeta são os nove lorianos que escaparam, todos possuidores de legados (super poderes, coloquemos dessa forma) e que juntos poderiam unir forças para recuperar o planeta em que nasceram. Foram enviados como refugiados para a Terra, tendo que viver como pessoas normais e correndo para cada vez mais longe caso perceberem que algum mogadoriano está próximo. Até o dia em que desenvolverem seus legados e unirem-se. Aí sim, a batalha final chegará.


Nesse meio tempo, Quatro, mais conhecido como John Smith (mas que já foi Daniel Jones e uma outra infinidade de nomes) se muda para Paradise, Ohio, junto de seu protetor Henri.Sua vida começa a mudar quando ele conhece a encantadora Sarah, faz amizade com um garoto chamado Sam e se torna rival de Mark, o Quarterback do time de futebol, ex de Sarah e bully oficial da escola. Ao mesmo tempo em que ele precisa se preparar cada vez mais para a Batalha, ele começa a se acomodar na vida aparentemente normal que possui e continuar com ela o quanto puder.


Deixo avisado aqui que gostei de Eu Sou o Número Quatro, de verdade mesmo, mas ele tem defeitos e me incomodou em algumas partes. esse livro é cheio daquela sensação de “cara, eu já vi isso antes” . A história principal foi muitíssimo bem elaborada, mas o diabo está nos detalhes, e esses sim me incomodaram um tantinho. De fato, muitas coisas nesse livro são clichê e já desgastadas até os ossos, como as histórias e pessoas não relacionadas a história central dos nove e etc. O álien que vem de um planeta distante que é dizimado por seus inimigos, as personagens terráqueas que não são exatamente bem elaboradas como por exemplo o jogador de futebol valentão, a (ex) líder de torcida linda e irresistível que por acaso é ex do valentão, a rixa com esse valentão por causa da garota, o nerd da sala que sofre bullying e é fissurado em histórias de áliens e teorias conspiratórias, o protagonista defendendo esse amigo nerd do valentão...Eu perdi a conta tentando enumerar quantas vezes essas coisas já foram utilizadas. Lorien também por si só foi meio preguiçosamente feita, quase como uma terra (até na linguagem parecida) só que mais distante, melhorada, mais velha e com habitantes super poderosos. O livro dá umas escorregadas no fato de parecer demais com a Terra e escorrega em pequenas coisas como Lorien ter pedras preciosas que vem a sustentar John e Henri na Terra, coisas essas que não “colam” muito. Compreendo que é difícil para o autor criar um planeta inteiramente novo sem tomar como referência absolutamente nada do que conhece e construir uma história a partir disso, mas até porque o autor usou um pseudônimo como se fosse um habitante de Lorien, acho que esforços maiores deveriam ter sido feitos.


E o que mais me deixou de cara é que os mogadorianos destruiram os recursos do planeta deles em busca de posses e pela ganância e agora estão invadindo planetas alheios, e os lorianos que já passaram por isso deram um jeito de Lorien ser autossustentável e o planeta os agradeceu com os super poderes para alguns. Ok, a intenção de mostrar pra nós essa questão da sustentabilidade foi boa, mas precisava esfregar na nossa cara? Me senti um pouco vendo o desenho do Capitão Planeta ou ouvindo os conselhos do He-man. A falta de ceticismo das personagens sempre me deixa irritada em livros do tipo, mas entendo que é um recurso pra acelerar o ritmo da história. Sigamos.


No entanto, antes que vocês tirem o livro do “vou ler” e nunca mais olhem nem pra capa dele, já aviso que não vale a pena. Que ele começa no óbvio ululante isso é inegável, mas a própria história dele o salva, apesar de que poderia ter sido muito melhor aproveitada. Eu não esperava muito dele, então acabei me surpreendendo. As personagens terrivelmente comuns do livro tomam rumos e fazem coisas que não são do feitio deles, as pessoas mudam e são imprevisíveis e a ação no livro é impressionante. Acabei me afeiçoando sem perceber a John, Henri, Sarah, Bernie Kosar (o cachorro de John), Sam e todo o resto.Ao terminar o livro percebi que talvez as personagens e situações que não gostei foram escritas assim para o livro não precisar se extender muito nas suas histórias e ir logo pro que interessa. Não,os clichês já citados não afetam a história principal, esta sim muito bem feita e planejada. Não é de forma alguma um daqueles livros onde dá pra você adivinhar o final na metade, e muito menos uma leitura arrastada. Apesar de ter me incomodado em diversos pontos, foram 350 páginas muito rápidas de ler e bem aproveitadas e que, apesar de tudo, surpreenderam em vários momentos. A história dos nove lorianos na Terra é boa, eu gostei muito e com toda certeza vou continuar a lê-la.
"Olho para o relógio na parede. Quase uma hora se passou. Estou suando, ofegante, perturbado com as cenas de morte que acabei de testemunhar. Pela primeira vez, entendo realmente o que aconteceu em Lorien. Antes desta noite os eventos eram apenas parte de uma história, não muito diferente de tantas outras que li nos livros. Mas agora vi o sangue, as lágrimas, os mortos. Vi a destruição. Ela é parte de quem eu sou."

Ps: ler um livro com uma personagem com o mesmo nome que eu foi, definitivamente, uma experiência nova e meio estranha, hahaha.

2 comentários:

  1. Oi Sarah! Bom, eu adoro a sério, então sou suspeita pra falar.
    Já li O Poder dos Seis e não aguento mais esperar pelo The rise of Nine. :)

    Beatriz Ramos - @letrasefolhas
    http://www.letrasefolhas.com :)

    ResponderExcluir
  2. O livro me incomodou numas partes, mas a história é interessantíssima, eu quero MUITO continuar a ler (e ver o filme também, ainda nem ví :S), já estou procurando O Poder dos Seis!

    ResponderExcluir

Blog contents © The Neon Lightning 2012. Blogger Theme by Nymphont.