Review Thursday #2 - Resenha de Ilusões Pesadas

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012



Autor:
Sacha Sperling
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535918199
Ano: 2011
Páginas: 176
Pra ler ouvindo: (esse vai ser grande, mas o livro é tão cheio de músicas que eu não resisti)
Negative Creep – Nirvana
Song 2 - Blur
Teardrop – Massive Attack
Echoes – Pink Floyd
Under The Bridge – Red Hot Chili Peppers
Play For Today - The Cure
Stairway to Heaven – Led Zeppelin
Hunter – Björk
Last Goodbye – Jeff Buckley




Resenha:

Um adolescente apático de 14 anos, rico, com uma vida sem perspectiva e rumo conhece Augustin, um rapaz que acaba por apresentar-lhe um estilo de vida cheio de sensações desconhecidas e escapistas, meio pautadas na delinquência.

Filho de pais de classe média alta e separados, nosso protagonista Sacha tem um desprezo pela escola e as pessoas que o cercam, exceto por sua mãe a quem trata como uma amiga qualquer. Egoísta, apático, mentiroso compulsivo, hedonista e em busca de emoções rápidas e intensas, acaba conhecendo Augustin, um bad boy típico que possui os mesmos interesses em fazer absolutamente nada exceto sexo, frequentar festas de ricaços, muita (muita mesmo) maconha e fileiras de cocaína, inaladas por meio de uma nota de cinquenta euros enrolada. Apesar do estilo de vida do protagonista ser polêmico e extremamente adulto, no fundo ele ainda é um adolescente em busca de coisas como o afeto e aceitação, compensando isso com dinheiro e viagens (em mais de um sentido).O título do livro faz sentido, afinal. Ele é baseado em ilusões pesadas, de todos os tipos, sendo destruídas.


O Relacionamento entre Sacha e Augustin é o foco principal do livro: amizade, sexo, drogas, mais sexo, dinheiro, noites em claro, dominação, entrega, joguinhos, viagens a lugares exóticos como a Tunísia e as Ilhas Maurício e algumas reflexões entre um gole e outro. É um relacionamento que ao mesmo tempo é superficial e efêmero mas ainda assim libertador como uma viagem alucinógena. Eles se conhecem a fundo pois um se enxerga no outro, algo raro numa vida onde pessoas são descartadas em busca de novas versões como modelos de celular novo, onde amores são líquidos e duram apenas o tempo do encontro, acabam quando um sai pela porta sem avisar.

A premissa do livro não é muito inovadora. Adolescentes ricos usando drogas e lidando com os próprios dilemas na escola e suas reflexões acerca da vida é algo bem usado, até. As comparações com Axolotle Atropelado são inevitáveis ao longo da leitura. O ritmo acelerado, as confusões no tempo e flashbacks inesperados que se assemelham com a escrita de Helene Hegemann acontecem, porém Ilusões Pesadas é um pouco mais linear e possui uma história central. O livro tem um quê de auto-biografia sendo pautado com um pé na realidade do autor e outro abrindo espaço para o fantasioso e ficcional, como uma mentira. Muito rico em referências e diferente da maioria dos livros atuais, também recomendo mas não a todos. É preciso paciência pra esse tipo de protagonista que a gente não sabe se quer salvar ou deixar morrer.
“Sinto-me inútil.Igual a sete milhões de outros homens cujo sangue escorreria se eles se cortassem[...] E, no entanto, você não parece se dar conta de todos esses cortes nos meus braços. Eles estão aí por isso mesmo.Eu sufoco. Ninguém reage. É esse o problema, quando a gente berra em silêncio. Gostaria que esses pedaços de pele fatiado, que esses litros de álcool ingeridos, que toda essa maconha transformada em fumaça falasse por mim. Não vá se afastar sob o pretexto de que me viu sorrindo. Não temo nada além de uma coisa: meu reflexo. Há espelhos demais para que eu viva em paz.”

3 comentários:

  1. Eu gostei da resenha,não conhecia o livro.
    Realmente protagonistas assim fazem agente ficar indecisa se gostamos ou não ;(
    Mas fiquei curiosa nunca li nada nesse estilo...
    Vou pesquisar sobre ;)

    Tem resenha nova lá no blog
    Passa, comenta e faz uma blogueira feliz? rs

    http://falleninme.blogspot.com

    PatyScarcella

    ResponderExcluir
  2. umm, não sei se leria esse livro, mas sem dúvidas a resenha me deixou com vontade.. ^^

    "É preciso paciência pra esse tipo de protagonista que a gente não sabe se quer salvar ou deixar morrer."

    ResponderExcluir
  3. É difícil pra mim até como blogueira dizer se recomendo ou não esse tipo de livro, mas por seralgo diferente e uma experiência nova, acho válido até pra saber se gosta ou não desse tipo de leitura.

    ResponderExcluir

Blog contents © The Neon Lightning 2012. Blogger Theme by Nymphont.